Maiores informações (45) 3025-2121 | Português

          

PALESTRANTES CONFIRMADOS

 

Dra. Karen B. Strier é professora titular de Antropologia na Universidade de Wisconsin em Madison desde 1989. Com mestrado e doutorado pela Universidade de Harvard, é uma autoridade internacional nos Muriquis, uma espécies de macaco ameaçada que a Dra. Karen estuda desde 1982 na Mata Atlântica. Os resultados do estudos pioneiors de longa duração da Dra. Karen forma fundamentais para os esforços de conservação do muriqui e ampliaram as abordagens de estudos de diversidade e comportamento em macacos. A Dra. Karen recebeu varios prêmios incluindo das Sociedades Americanas e Brasileira de Primatologia e do Conselho Nacional da Reserva Biosfera da Mata Atlântica. Ela é membro da Academia Nacional de Ciências EUA desde 2005 e foi presidente da Sociedade Internacional de Primatologia.

 

Bióloga pela UFBA, onde também fez mestrado em Ecologia. Doutorado em Oceanografia Biológica pela USP, com período sanduíche na Texas A&M University. Se interessa pelos aspectos ecológicos de organismos planctônicos, especialmente no que diz respeito à sua distribuição e espectro de tamanhos, divulgação científica e desigualdades de gênero na carreira científica. 

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5754217373165796

 

Dra. Fernanda Werneck

Dra. Fernanda Werneck é Pesquisadora em Biodiversidade do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), onde atua como Curadora da Coleção de Anfíbios e Répteis e Coordenadora do Programa de Coleções Científicas e Biológicas. Cientista bastante atuante na formação de pesquisadores mestres e doutores em biodiversidade no Brasil. As linhas de pesquisa do seu grupo de pesquisa envolvem o estudo da evolução e conservação da diversidade de anfíbios e répteis (herpetofauna) da região Neotropical, com foco em biomas abertos e florestais da América do Sul; efeitos de mudanças climáticas sobre a biodiversidade (https://wernecklab.weebly.com).

Vencedora do prêmio Internacional Rising Talents da L´Oréal-UNESCO For Women in Science de 2017 e do prêmio L´Oréal-UNESCO-ABC Para Mulheres na Ciência de 2016, área Ciências Biológicas. Membro afiliada da Academia Brasileira de Ciências, Regional do Norte e membro afiliada da Global Young Academy.

Mãe de uma filha de 16 anos, parte da equipe do grupo Parent In Science e bastante atuante na causa e valorização das Mulheres na Ciência e na promoção de ambientes de trabalho diversos e saudáveis.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0507204139787803

 

 Dr. Paulo Petry

The Nature Conservancy
• Senior Freshwater Scientist (2007 to present)
Museum of Comparative Zoology, Harvard University
• Associate in Ichthyology (2007- to present)
World Wildlife Fund
• Scientific adviser (2004-2006)
Miami Science Museum, Miami FL
• Scientific consultant (2002 to 2005)
Field Museum of Natural History, Chicago, IL
• Associate Researcher, Division of Fishes, (2001 to 2004)
National Institute for Amazon Research (INPA), Manaus, AM Brazil
• Researcher in in Aquatic Biology Feb. 1984 – Sep. 1999
• Vice-chair of the Biological Collections program, 1996 - 1999
• Associate curator and manager of the Ichthyological collection, 1996 - 1999

Lattes: http://lattes.cnpq.br/0723327620419970

 

 Dra. Manuela Ramalho

Eu sou bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP (2010), mestre e doutora em Biologia Molecular e Celular pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho- UNESP (2017) (Brasil). Atualmente sou pesquisadora de pós-doutorado na Cornell University (Ithaca, NY, EUA) no Moreau Lab (Dr Corrie S. Moreau) e Babonis Lab (Dr Leslie Babon). Minha pesquisa se concentra em entender os mecanismos que afetam as comunidades microbianas, desvendando o papel da ecologia, dieta, comportamento, estágio de desenvolvimento e também da filogenia do hospedeiro nessas interações simbióticas, usando formigas e cnidários como  modelos. Além de focar no estudo do microbioma e evolução das formigas e cnidários, também defendo uma comunidade científica mais diversificada e inclusiva. A ciência de qualidade é feita com um grupo diversificado de cientistas com diferentes formações. Ser uma aliada das mulheres na ciência e dos pais na ciência, e de outros grupos sub-representados que buscam inclusão na ciência e divulgação científica, é uma paixão da qual tenho muito orgulho e prazer de fazer parte.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4631849252409276