Maiores informações (45) 3025-2121 | Português | Español

O Festival de Divulgação Científica Zoo na Rua, organizado pelo Instituto de Biociências e pelo Museu de Zoologia, ambos da Universidade de São Paulo, em parceria com a Sociedade Brasileira de Zoologia e Instituto Butantan, ocorreu de 03 a 06 de março de 2020, durante o XXXIII Congresso Brasileiro de Zoologia, em Águas de Lindóia, SP.
Durante quatro dias, foram realizadas diversas atividades relacionadas às diferentes ciências, em especial, à biologia, à zoologia e à conservação. Atendendo a mais 4.000 pessoas, entre estudantes (2700), professores das redes públicas estadual e municipal, moradores e congressistas, o Festival ofereceu exposições, oficinas, jogos, peças de teatro, planetário, curso para professores, entre outras atividades, concentradas em uma área de 500m2, no mesmo local em que ocorreu o XXXIII CBZ.
O Festival teve como principal objetivo aglutinar, em um mesmo espaço, diferentes públicos interessados em debater as aproximações entre Ciência e Sociedade, primando pela interatividade e pelo diálogo, buscando contribuir para a formação dos alunos de graduação e pós-graduação da USP, bem como para a divulgação da pesquisa realizada nessa instituição.
Foram montadas duas equipes de organização, formadas por professores e alunos de graduação e pós-graduação. Uma delas, coordenada pela Profa. Alessandra Bizerra, ficou responsável pelo planejamento e execução das atividades expositivas, oferecidas tanto aos congressistas quanto à população de Águas de Lindoia e região. A outra equipe, coordenada pela Profa. Rosana Louro Ferreira Silva, assumiu o curso de formação de professores. As duas equipes fizeram reuniões constantes ao longo do segundo semestre de 2019, inclusive com a Secretaria Municipal de Educação de Águas de Lindoia. e atuaram em contínuo diálogo com a Comissão Organizadora do XXXIII CBZ.


Entre as instituições da USP participantes, estão:


1. Instituto de Biociências - o IBUSP participou com um espaço de 20m2 voltado especialmente para a divulgação científica de temas relacionados à conservação da biodiversidade. Apresentou material biológico fixado e atividades interativas, como oficinas de argila. Por meio de seu Núcleo de Ilustração Científica (NIC IB-USP), desenvolveu oficinas de desenho e exposição de ilustrações científicas, com discussões acerca da importância da ilustração científica para a ciência, ensino e divulgação. A Célula Gigante, um modelo 3D de imersão produzido pelo CEPID Genoma Humano também participou do evento. Uma importante ação desenvolvida pelo IBUSP foi o oferecimento do curso de formação de
professores intitulado "Ensino de Zoologia na Educação Básica: Abordagens Evolutivas, Socioambientais e de Saúde", com portaria de homologação pela Secretaria Estadual de Educação, publicada no DOE de 15/02/20. O curso recebeu 25 professores das redes municipal e estadual. Com o credenciamento junto à Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação (EFAPE/SEE), foi possível a atribuição de créditos para o professor da rede estadual para progressão na carreira. O curso contou com carga horária de 30 horas e propiciou a participação dos professores em várias atividades do XXXIII CDB.

 

2. Museu de Zoologia - o MZUSP apresentou uma exposição itinerante sobre a biodiversidade faunística brasileira, com vídeos e materiais biológicos para toque. Contou também com o grupo Herpetologia Segundo as Herpetólogas, com atividades de exposição, em vidros e bandejas, de répteis fixados e conservados em álcool. O mesmo grupo realizou rodas de conversa com a temática "Sou meninas, posso ser cientista?”.

3. Instituto Oceanográfico - com um túnel ocupando 30m2 sobre poluição marinha, o IO participou com as atividades interativas “Entenda o lixo marinho” e “Que mar queremos?”. Além disso, fez a distribuição de material educativo sobre a temática para professores da região que visitaram o evento.

4. EACH/Banca da Ciência - apresentou uma série de atividades científicas, muitas das áreas de física e química, além de abordar a temática de Direitos Animais, promovendo um debate sobre o uso de animais em pesquisa.

5. Museu de Anatomia Veterinária - contou com exposição de parte de seu acervo biológico e histórico, em grande parte com peças biológicas e históricas.

6. Instituto de Geociências - o IGC participou com uma exposição de fósseis brasileiros, além de rodas de conversa e atividades com o público infantil.

No total, participaram 32 alunos de graduação e 08 de pós-graduação que receberam apoio de próreitorias da USP, além de 06 alunos voluntários.


Entre as instituições externas participantes, estão:


1. Instituto Butantan - apresentou o Teatro de Fantoches sobre Biodiversidade, que fez o acolhimento de 2700 estudantes e mais de 100 professores. Levaram ainda a exposição “Museu vai ao parque” (mesa interativa com réplicas, couros de serpentes, materiais osteológicos e animais fixados) e a “Parada animal” e o “Mão na cobra" (interações com serpentes vivas não peçonhentas).

2. Fundação Ezequiel Dias - montou uma exposição de fotos e objetos tombados em sua coleção zoológica e apresentou o Ciência Móvel - uma exposição sobre serpentes, aranhas, escorpiões, abelhas, dengue e leishmanioses, de 150 m2.

3. Lampião Jogos - coordenou um espaço específico para que os visitantes interagissem com jogos educativos. Foram produzidos, em uma parceira com a Sociedade Brasileira de Zoologia, quatros novos jogos, exclusivos para o congresso.


4. Ictiomulheres - o grupo de pesquisa e educação sobre ictiofauna apresentou espécimes fixados de peixes de água doce e marinhos, focando na importância de sua conservação.


5. Eco 360 - com a atividade “Abrolhos, um outro olhar”, o grupo propiciou imersões em Realidade Virtual em Abrolhos, com um exibição de vídeos que ilustram a biodiversidade do Parque Nacional Marinho e região.


6. Projeto Mantas do Brasil - em um planetário inflável, fizeram projeção de imagens 360º por 180º com o título "Mergulho no Desconhecido".


7. CENAP/Pró-carvívoros - o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio, junto com o Instituto Pró-carnívoros, apresentou mamíferos taxidermizados, como lobo-guará e onça parda, e distribuiu materiais educativos e comunicacionais para as escolas visitantes.



Agrademos às Pró-reitorias de Cultura e Extensão Universitária, Graduação e Pós-graduação da Universidade de São Paulo pelo apoio à realização desse evento.

Profa. Alessandra Bizerra (IB)
Prof. Luis Fábio Silveira (MZ)
Prof. Ricardo Pinto da Rocha (IB)
Profa. Rosana Louro Ferreira Silva (IB)